Danças Circulares Sagradas

O que são as Danças Circulares Sagradas?
Em todas as tribos e em todos os tempos, a dança sagrada fazia parte dosrituais da comunidade. O círculo, um símbolo universal, muitas vezes centrado no
fogo ou em objetos sagrados (talismãs, flores, etc.) representava o espaço onde a comunidade celebrava os rituais de passagem (nascimento, casamento, morte) e os outros momentos importantes da passagem da vida humana. As Danças Circulares Sagradas, também conhecidas como "Danças Rodadas" ou "Danças do Povo", foram coletadas e / ou criadas pelo coreógrafo e dançarino alemão / polonês Bernhard Wosien e sintetizam danças de diferentes culturas num repertório bastante amplo e diversificado: danças tradicionais, regionais, folclóricas e contemporâneas de Israel, Armênia, Macedônia, Turquia, Bulgária, Rússia, Romênia, América Latina, etc. Não é uma invenção dos tempos modernos, mas a continuidade de práticas ancestrais, antigas e profundas. O termo "sagrado" é usado em conexão com os objetivos dessas danças: trazer o respeito pelo outro, a doçura para si e para o outro, a melhoria da auto-estima. A roda, formada pelas mãos unidas circula uma energia positiva no grupo. O coração da Dança Circular Sagrada não é a técnica, mas o senso de união do grupo, o espírito de comunidade. É, portanto, adequado para pessoas de todas as idades, identidades, crenças e escolhas de estilo de vida. Os benefícios da Dança Circular Sagrada.

  • Traz leveza, alegria, beleza, serenidade e bem-estar
  • Convida à cooperação, integração e comunhão, mantendo a individualidade e as diferenças de cada um-
  • Permite um melhor conhecimento de si mesmo e harmoniza os corpos físico, mental, emocional e espiritual 
  • Aumenta a percepção, concentração, memória e atenção.
  • Traz musicalidade, harmonia e ritmo à vida quotidiana.
  • Incentiva todos a ocuparem o seu lugar, o seu espaço, o desenvolvimento da flexibilidade e da autoconfiança.

A Prática das Danças Circulares
A dinâmica das Danças Circulares Sagradas é simples: aprendemos o ritmo, treinamos na roda e depois dançamos com música. Aos poucos, as pessoas começam a integrar os movimentos, libertam a mente, o coração, o corpo e o espírito. As danças podem ser simples e aprendidas facilmente, sem a experiência prévia necessária para participar das rodas. Algumas são mais sofisticados, para dançarinos mais acostumados.
Naturalmente, o simples ato de dançar juntos limita as fronteiras, estimulando os membros do círculo a respeitar, aceitar e honrar a diversidade. Através do ritmo, da melodia e dos movimentos, é um convite para conhecer a expressão de outras culturas, com seus gestos, posturas e a sua história.
Para um mundo mais harmonioso!
É simples: entre na roda e prove este sabor!


Sessões em grupo